sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Porque Israel é um Estado Nazista

TERRORISMO ISRAELENSE

No ataque mais sangrento nos territórios palestinos nesse ano, 296 pessoas, entre eles muitas mulheres e oito crianças, morreram ontem quando Bombas do Exército israelense atingiram residencias na Faixa de Gaza. Mais de mais de 500 pessoas ficaram feridas, algumas delas gravemente.muitos bombardeios destroçaram um complexo de casas onde viviam integrantes de uma só família, a Al-Assamna. Segundo testemunhas, a família estava dormindo na hora da primeira explosão, às 5h15. Em pânico, os moradores tentavam fugir qunado mais bombas atingiram as mesmas casas. ?Vimos pernas, cabeças e mãos espalhadas pela rua?, contou o vizinho Attaf Hamad, de 22 anos.?
Mais adiante o jornal informa que os militantes do Hamas mais próximos estavam a 450 metros de distância, acabando com a balela sionista de que civis são atingidos porque guerrilheiros se misturam a eles. O jornal informa ainda que o uso de bombas em operações desse tipo é condenado por especialistas, por causa da imprecisão dessas armas. Ou seja, o Estado de Israel usa bombas mesmo sabendo que o risco de matar civis é altíssimo. É praticamente homicídio premeditado. Ou genocídio premeditado. Isto demonstra que o Estado de Israel não tem a menor consideração e o menor respeito por vidas palestinas, caracterizando-se claramente como um Estado criminoso, assassino em massa.
Isso nos traz ao tema deste artigo: Israel é um Estado nazista. Nazista, em primeiro lugar, porque considera que a vida de um judeu vale mais dos que as vidas de centenas de palestinos, assim com os nazistas germânicos achavam que a vida de um alemão valia mais do que as vidas de centenas de judeus ou russos ou ciganos, etc. A pretexto de resgatar um soldado seqüestrado pelo Hamas em Gaza, o Estado de Israel se acha no direito de sair matando civis palestinos, inclusive mulheres e crianças. Depois, dizem que foi um ?erro técnico? e fica tudo por isso mesmo, com as bênçãos dos Estados Unidos, sem os quais Israel já teria deixado de existir há muito tempo. Os israelenses vivem de uma esmolinha de três bilhões de dólares por ano, esmolinha dada pelos americanos.
Nazista, em segundo lugar, porque é um Estado constituído sobre uma base racial. Israel é, oficialmente, um Estado judeu. Quando os judeus são criticados, gritam: ?Racismo!?. Isto é, os judeus se consideram uma raça. Aliás, organizações judaicas em todo o mundo, inclusive no Brasil e na Paraíba, têm promovido testes de DNA para determinar quem tem o direito de se proclamar judeu. Se os judeus são uma raça, como eles próprios se consideram (já que etnia não se mede por teste de DNA), Israel é um Estado racial. Se é um Estado racial, é um Estado racista. Se é um Estado racista, é um Estado nazista. Os judeus deixaram de ser vítimas há muito tempo. Hoje são algozes, matadores cruéis de civis inocentes. Comportam-se como nazistas.
Até mesmo em sua exploração sistemática do Holocausto, os judeus se mostram racistas. Atuam para ter o monopólio da grife Holocausto. Vivem repetindo que os nazistas germânicos mataram seis milhões de judeus, o que é verdade (não sou, de modo algum, um negacionista do Holocausto), mas apagam dos registros o genocídio dos ciganos, dos quais cerca de seiscentos mil foram dizimados pelos mesmos nazistas germânicos, muitas vezes nos mesmos campos de concentração. Proporcionalmente, o número de ciganos mortos foi tão alto quanto o de judeus. E ainda houve, como vítimas do Holocausto, os comunistas, os homossexuais, as testemunhas de Jeová, os deficientes físicos, os deficientes mentais e outros grupos (até mesmo os esperantistas, adeptos da língua internacional e neutra Esperanto foram perseguidos e muitas vezes mortos). Tudo isso é apagado; tudo isso é esquecido. No livro Holocausto ? O massacre de seis milhões, o escritor judeu Ben Abraham apaga os ciganos com um truque sórdido: diluindo-os nas nacionalidades. Ou seja, um judeu polonês morto é um judeu; um cigano romeno morto não é um cigano, mas um romeno. Assim, eles ficam com o monopólio do Holocausto e o transformam numa grife judaica que justifica tudo, inclusive o massacre, brutal e covarde, hediondo, de mulheres e crianças palestinas. Até como vítimas os sionistas são racistas. Até como vítimas os sionistas são nazistas. Como algozes, então, nem se fala.
Outro conceito nazista fundamental para o Estado de Israel é o de ?espaço vital?. Hitler dizia que os alemães precisavam de ?espaço vital?, quer dizer, as terras dos vizinhos. Os sionistas dizem e fazem a mesma coisa. As famigeradas colônias construídas sobre terras palestinas na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental e sobre terras sírias nas Colinas de Golã são nada menos que a aplicação do conceito nazista de ?espaço vital?. Por que só Hitler deveria ser condenado por isso? Por que os sionistas e o Estado de Israel não deveriam ser condenados? Dois pesos e duas medidas? Nazismo é nazismo, não importa se germânico ou judeu.
O próprio conceito de ?povo eleito? é puro racismo. Os nazistas germânicos se consideravam o povo eleito pela genética. Os judeus se consideram o povo eleito por Deus e, conseqüentemente, também pela genética. Não há diferença. O judaísmo é, essencialmente, uma religião racista. E todo racismo tem que ser condenado, tenha ou não fundo religioso. Em nome de sua suposta escolha por Deus, os hebreus cometeram muitos massacres, massacres horríveis: ?Não deixareis vivo nada que respire; pelo contrário: passareis no fio da espada homens, mulheres, crianças e animais?. Está na Bíblia dos hebreus. Precisa dizer mais? Antes passavam no fio da espada; hoje matam com mísseis e balas de canhão. Sempre foram nazistas; continuam nazistas.
Por fim, uma palavra sobre o judaísmo messiânico. Os judeus tradicionais ? a grande maioria que inclui ortodoxos, conservadores, liberais e reformistas ? consideram Jesus Cristo um falso messias, portanto um farsante, um impostor (enquanto os muçulmanos consideram Jesus um profeta, um dos nove profetas do islamismo). Os judeus messiânicos consideram Jesus o verdadeiro messias, mas acham que ele veio somente para os judeus. Ou seja, Jesus não morreu pela humanidade, mas somente por eles, os hebreus. Quanta pretensão! Quanto racismo! Quanto nazismo! Basta de hipocrisia. Denunciemos o sionismo pelo que ele é: uma forma de racismo e de nazismo. Denunciemos o Estado de Israel pelo que ele é: um Estado racial, racista, nazista. Podem espernear à vontade, mas esta é a verdade. A verdade, meus caros, a verdade.

2 comentários:

ivo disse...

Se vc não sabe judeu não é raça e sim religião. Porque o judeu não pode se misturar com os jentios."Jentios são os não judeus ou seja: os incircuncisos, os que não se converteram ao judaismo e não seguem as leis dadas por Deus a Moises. Jentio tanto pode ser um palestino, um israelence que não segue o judaismo ou outra pessoa não importando "raça" ou nacionalidade.Se não tem circuncisão, se não segue as leis Mosaicas, é conciderado jentio. Da mesma forma é o evangélico, que só se casam com evangélico pois não se misturam com os "mundanos" ou impios. A palavra grega "santo" vem da palavra ebraica "Kadoshi" que quer diser: selecionado ou purificado. Deus selecionou seu povo Hebreu que por este viria Jesus o Messias, que formou sua santa igreja. Diser que o estado de Israel é um estado nazista é uma coisa esdruxula. Como uma coisa pode ser outra se foi perseguido por ela?!! Hoje em dia estão chamando negros de racista, judeus de nazista mulheres de machista, é cada um varrendo sua sujeira para dentro da casa do outro. Se um judeu em um campo de concentração na Alemanha nazista soubesse que no futuro pessoas iriam chamar Israel de nazista. teria um ataque de transtorno. Da mesma forma negros hoje tambem estão sendo acusados de cometer sujeira de branco. Como se houvesse uma versão negra para o racismo do branco, de igual maneira.

Ezequiel Libonati disse...

Esse Ivo deve ter problemas de personalidade humana, isso para não dizermos que trata-se de um louco que grita "glórias a uma Estado nazista" ( Israel.
Em toda minha infância, aprendi com a história, a abonar em meio de censura todas as pretensões e justificativas de Hitler contra o povo judeu, que sofreram com a guerra.
Da mesma forma, repudio e ensinarei meul filho a repudiar, o Estado nazista de Israel, por que impedir que alimentos cheguem as vítimas, cortar abastecimento e os isolar das perspectiva de uma nação livre e justa, é o mesmo que repetir o campo de concentração de Hitler, daí afirmo que Israel é um Estado nazista, ou alguém ira nos negar que a cisjordânia não virou um campo de concentração?
Os rebeldes palestinos possuem armas de via terrestre, no mínimo um fuzil e aqueles foguetes vagabundos que lançam e não têm direção certa. Mesmo assim, Israel ousa em bombardear desproporcionalmente com jatos, navios a cidade dos palestinos, respondendo ao poder de fogo desproporcional para um país que não tem nem marinha e aeronáutica ou como se defender.
O Presidente iraniano foi feliz em desmentir a versão sobre o holocausto, quando disse que até hoje não se comprovaram os tais "6 milhões de mortos judeus" pelos nazistas, pois acharam apenas milhares de ossadas e não milhões como alegam os judeus.
No fim da história, Israel foi a pior farsa de nossa história, e sua arrogância política fará com que todos os países se distanciem desses preconceituosos racistas contra povos árabes.
E ainda querem desarmar o Irã?
Para quê?
Para Israel poder criar outro campo de concentração?
O Irã está mais do que certo em se preocupar com sua defesa!